Fechar
Socilitações

Política de Cookies

Seção 1 - O que faremos com esta informação?

Esta Política de Cookies explica o que são cookies e como os usamos. Você deve ler esta política para entender o que são cookies, como os usamos, os tipos de cookies que usamos, ou seja, as informações que coletamos usando cookies e como essas informações são usadas e como controlar as preferências de cookies. Para mais informações sobre como usamos, armazenamos e mantemos seus dados pessoais seguros, consulte nossa Política de Privacidade. Você pode, a qualquer momento, alterar ou retirar seu consentimento da Declaração de Cookies em nosso site.Saiba mais sobre quem somos, como você pode entrar em contato conosco e como processamos dados pessoais em nossa Política de Privacidade.

Seção 2 - Coleta de dados

Coletamos os dados do usuário conforme ele nos fornece, de forma direta ou indireta, no acesso e uso dos sites, aplicativos e serviços prestados. Utilizamos Cookies e identificadores anônimos para controle de audiência, navegação, segurança e publicidade, sendo que o usuário concorda com essa utilização ao aceitar essa Política de Privacidade.

Seção 3 - Consentimento

Como vocês obtêm meu consentimento? Quando você fornece informações pessoais como nome, telefone e endereço, para completar: uma solicitação, enviar formulário de contato, cadastrar em nossos sistemas ou procurar um contador. Após a realização de ações entendemos que você está de acordo com a coleta de dados para serem utilizados pela nossa empresa. Se pedimos por suas informações pessoais por uma razão secundária, como marketing, vamos lhe pedir diretamente por seu consentimento, ou lhe fornecer a oportunidade de dizer não. E caso você queira retirar seu consentimento, como proceder? Se após você nos fornecer seus dados, você mudar de ideia, você pode retirar o seu consentimento para que possamos entrar em contato, para a coleção de dados contínua, uso ou divulgação de suas informações, a qualquer momento, entrando em contato conosco.

Seção 4 - Divulgação

Podemos divulgar suas informações pessoais caso sejamos obrigados pela lei para fazê-lo ou se você violar nossos Termos de Serviço.

Seção 5 - Serviços de terceiros

No geral, os fornecedores terceirizados usados por nós irão apenas coletar, usar e divulgar suas informações na medida do necessário para permitir que eles realizem os serviços que eles nos fornecem. Entretanto, certos fornecedores de serviços terceirizados, tais como gateways de pagamento e outros processadores de transação de pagamento, têm suas próprias políticas de privacidade com respeito à informação que somos obrigados a fornecer para eles de suas transações relacionadas com compras. Para esses fornecedores, recomendamos que você leia suas políticas de privacidade para que você possa entender a maneira na qual suas informações pessoais serão usadas por esses fornecedores. Em particular, lembre-se que certos fornecedores podem ser localizados em ou possuir instalações que são localizadas em jurisdições diferentes que você ou nós. Assim, se você quer continuar com uma transação que envolve os serviços de um fornecedor de serviço terceirizado, então suas informações podem tornar-se sujeitas às leis da(s) jurisdição(ões) nas quais o fornecedor de serviço ou suas instalações estão localizados. Como um exemplo, se você está localizado no Canadá e sua transação é processada por um gateway de pagamento localizado nos Estados Unidos, então suas informações pessoais usadas para completar aquela transação podem estar sujeitas a divulgação sob a legislação dos Estados Unidos, incluindo o Ato Patriota. Uma vez que você deixe o site da nossa loja ou seja redirecionado para um aplicativo ou site de terceiros, você não será mais regido por essa Política de Privacidade ou pelos Termos de Serviço do nosso site. Quando você clica em links em nosso site, eles podem lhe direcionar para fora do mesmo. Não somos responsáveis pelas práticas de privacidade de outros sites e lhe incentivamos a ler as declarações de privacidade deles.

Seção 6 - Segurança

Para proteger suas informações pessoais, tomamos precauções razoáveis e seguimos as melhores práticas da indústria para nos certificar que elas não serão perdidas inadequadamente, usurpadas, acessadas, divulgadas, alteradas ou destruídas.

Seção 7 - Alterações para essa política de privacidade

Reservamos o direito de modificar essa política de privacidade a qualquer momento, então por favor, revise-a com frequência. Alterações e esclarecimentos vão surtir efeito imediatamente após sua publicação no site. Se fizermos alterações de materiais para essa política, iremos notificá-lo aqui que eles foram atualizados, para que você tenha ciência sobre quais informações coletamos, como as usamos, e sob que circunstâncias, se alguma, usamos e/ou divulgamos elas. Se nosso site for adquirido ou fundido com outra empresa, suas informações podem ser transferidas para os novos proprietários para que possamos continuar a vender produtos e serviços para você

17 de março de 2023
Contábeis

A declaração do Imposto de Renda (IR) é uma obrigatoriedade presente na vida de qualquer brasileiro que tenha obtido algum ganho com operações na Bolsa de Valores. Dessa forma, se o contribuinte investe nesse ambiente, provavelmente terá que realizar este processo.

Saber como declarar no IR as movimentações financeiras na Bolsa é fundamental para evitar problemas com a malha fina da Receita Federal.

Por isso, o contribuinte precisa entender como declarar ações no Imposto de Renda, além de outras operações com ações em curto prazo.

O Portal Contábeis levantou as principais informações e orientações para declarar atividades na Bolsa de Valores corretamente e sem gerar muita dor de cabeça. Uma coisa o investidor tem que ter em mente: se a pessoa tem ação na carteira é obrigada a fazer a declaração de Imposto de Renda. Não faz diferença se o contribuinte tem uma ou mil ações, se teve lucro ou prejuízo – basta ter negociado para se encaixar na lista de obrigatoriedades. 

Há uma preparação para declarar esse tipo de ativo com menos dor de cabeça: de maneira geral, os contribuintes que negociam ações e têm lucro precisam pagar Imposto de Renda mensalmente utilizando um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) . 

O Darf pode ser encontrado no site da Receita o ano todo, e as informações necessárias para preenchê-lo costumam ser informadas pela corretora em que são realizadas as negociações.

Como declarar ações em carteira no Imposto de Renda?

1 - Escolha a aba "Bens e Direitos" para declarar as ações que tem em carteira;

2 - Marque o grupo: para essa declaração, clique no Grupo 03 - Participações societárias;

3 - Selecione o código: nesta etapa, marque o Código 01 - Ações (inclusive as listadas em Bolsa);

4 - Informe o CNPJ: digite o número do CNPJ da empresa que consta no informe de rendimentos;

5 - Discrimine a ação: no preenchimento da discriminação, descreva a sua posição com a quantidade, código de negociação, custo médio de aquisição e outros detalhes. Por exemplo: 

100 ações da ON da Vale – Código de negociação na B3: VALE3 – custodiadas da corretora (nome e CNPJ da corretora) a um custo médio de (R$ XX,XX).

6 - Declare a situação: insira a "Situação em 31/12/20XX" (ano retrasado) e "Situação em 31/12/20XX" (ano passado), conforme consta no informe de rendimentos.

Como declarar operações de curto prazo no Imposto de Renda?

Operações de curto prazo são todas as operações realizadas na Bolsa de Valores que têm menor duração (dias, semanas ou meses), mas não se prolongam por anos.Essas transações também são conhecidas como Swing Trade ou operações normais.

Com relação à declaração do Imposto de Renda das transações de Swing Trade, podemos classificar em dois grupos: o grupo de transações tributáveis e o grupo de transações não tributáveis.

Operações de curto prazo não tributáveis

Caso o valor de venda de ações em um mês não supere R$20.000,00, os lucros recebem a isenção de Imposto de Renda.

Neste caso o procedimento é o seguinte:

1 - Procurar a seção “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.

2 - Clicar na opção “Novo”

3 - Selecionar o item "20 –Ganhos líquidos em operações no mercado à vista de ações negociadas em Bolsas de Valores nas alienações realizadas até R$20.000,00 em cada mês, para o conjunto de ações”.

Operações de curto prazo e Day Trade tributáveis

1 - Procurar a seção “Operações Comuns / Day-Trade” em “Renda Variável”;

2 - Ao entrar nesse campo, é possível declarar os resultados consolidados de cada mês separadamente.

Nesta etapa preenche-se várias informações como lucros e prejuízos, o que é muito importante, pois os prejuízos são compensados dos impostos subsequentes.

Como declarar dividendos no Imposto de Renda?

Os dividendos são aquela remuneração que algumas empresas distribuem aos seus acionistas, como forma de repartir os lucros.

Apesar da obrigatoriedade de constar na declaração do Imposto de Renda, os dividendos são rendimentos isentos do pagamento da tributação referente ao Imposto de Renda.

Para declarar os dividendos o passo a passo é:

1 - Procurar a aba “Fichas da declaração”, que fica na seção “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”;

2 - Clicar em “Novo”;

3 - Selecionar o item "09 – Lucros e dividendos recebidos”.

4 - Preencher os campos: CNPJ da empresa que paga dos dividendos, nome da Empresa e valor total recebido ao longo do ano.

A importância do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) para um investidor

Ao investir qualquer quantia, seja na Bolsa de Valores ou em outras modalidades no mercado financeiro, você pode obter lucro ou não. Cada investimento possui uma possibilidade de retorno e risco, contudo, o que quase todos compartilham é que são passíveis de tributação.

Essa é a forma do governo controlar o mercado financeiro e arrecadar uma porcentagem sobre esses investimentos. Assim, a principal ferramenta utilizada pelo governo é a arrecadação do Imposto de Renda.

Nesses investimentos apenas uma pequena parcela dos impostos é retida na fonte, sendo 1% sobre o valor dos rendimentos quando a operação for de curtíssimo prazo (Day Trade) e para posição o percentual é de 0,005% sobre o valor de alienação do ativo.

O restante você precisa declarar posteriormente. E é aí que entra o Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF). A partir da emissão e do pagamento do DARF que o contribuinte consegue se manter dentro da lei e evitar autuações da fiscalização por problemas nas suas aplicações financeiras.

Compartilhe nas redes sociais
Facebook Twitter Linkedin
Voltar para a listagem de notícias