Fechar
Socilitações

Política de Cookies

Seção 1 - O que faremos com esta informação?

Esta Política de Cookies explica o que são cookies e como os usamos. Você deve ler esta política para entender o que são cookies, como os usamos, os tipos de cookies que usamos, ou seja, as informações que coletamos usando cookies e como essas informações são usadas e como controlar as preferências de cookies. Para mais informações sobre como usamos, armazenamos e mantemos seus dados pessoais seguros, consulte nossa Política de Privacidade. Você pode, a qualquer momento, alterar ou retirar seu consentimento da Declaração de Cookies em nosso site.Saiba mais sobre quem somos, como você pode entrar em contato conosco e como processamos dados pessoais em nossa Política de Privacidade.

Seção 2 - Coleta de dados

Coletamos os dados do usuário conforme ele nos fornece, de forma direta ou indireta, no acesso e uso dos sites, aplicativos e serviços prestados. Utilizamos Cookies e identificadores anônimos para controle de audiência, navegação, segurança e publicidade, sendo que o usuário concorda com essa utilização ao aceitar essa Política de Privacidade.

Seção 3 - Consentimento

Como vocês obtêm meu consentimento? Quando você fornece informações pessoais como nome, telefone e endereço, para completar: uma solicitação, enviar formulário de contato, cadastrar em nossos sistemas ou procurar um contador. Após a realização de ações entendemos que você está de acordo com a coleta de dados para serem utilizados pela nossa empresa. Se pedimos por suas informações pessoais por uma razão secundária, como marketing, vamos lhe pedir diretamente por seu consentimento, ou lhe fornecer a oportunidade de dizer não. E caso você queira retirar seu consentimento, como proceder? Se após você nos fornecer seus dados, você mudar de ideia, você pode retirar o seu consentimento para que possamos entrar em contato, para a coleção de dados contínua, uso ou divulgação de suas informações, a qualquer momento, entrando em contato conosco.

Seção 4 - Divulgação

Podemos divulgar suas informações pessoais caso sejamos obrigados pela lei para fazê-lo ou se você violar nossos Termos de Serviço.

Seção 5 - Serviços de terceiros

No geral, os fornecedores terceirizados usados por nós irão apenas coletar, usar e divulgar suas informações na medida do necessário para permitir que eles realizem os serviços que eles nos fornecem. Entretanto, certos fornecedores de serviços terceirizados, tais como gateways de pagamento e outros processadores de transação de pagamento, têm suas próprias políticas de privacidade com respeito à informação que somos obrigados a fornecer para eles de suas transações relacionadas com compras. Para esses fornecedores, recomendamos que você leia suas políticas de privacidade para que você possa entender a maneira na qual suas informações pessoais serão usadas por esses fornecedores. Em particular, lembre-se que certos fornecedores podem ser localizados em ou possuir instalações que são localizadas em jurisdições diferentes que você ou nós. Assim, se você quer continuar com uma transação que envolve os serviços de um fornecedor de serviço terceirizado, então suas informações podem tornar-se sujeitas às leis da(s) jurisdição(ões) nas quais o fornecedor de serviço ou suas instalações estão localizados. Como um exemplo, se você está localizado no Canadá e sua transação é processada por um gateway de pagamento localizado nos Estados Unidos, então suas informações pessoais usadas para completar aquela transação podem estar sujeitas a divulgação sob a legislação dos Estados Unidos, incluindo o Ato Patriota. Uma vez que você deixe o site da nossa loja ou seja redirecionado para um aplicativo ou site de terceiros, você não será mais regido por essa Política de Privacidade ou pelos Termos de Serviço do nosso site. Quando você clica em links em nosso site, eles podem lhe direcionar para fora do mesmo. Não somos responsáveis pelas práticas de privacidade de outros sites e lhe incentivamos a ler as declarações de privacidade deles.

Seção 6 - Segurança

Para proteger suas informações pessoais, tomamos precauções razoáveis e seguimos as melhores práticas da indústria para nos certificar que elas não serão perdidas inadequadamente, usurpadas, acessadas, divulgadas, alteradas ou destruídas.

Seção 7 - Alterações para essa política de privacidade

Reservamos o direito de modificar essa política de privacidade a qualquer momento, então por favor, revise-a com frequência. Alterações e esclarecimentos vão surtir efeito imediatamente após sua publicação no site. Se fizermos alterações de materiais para essa política, iremos notificá-lo aqui que eles foram atualizados, para que você tenha ciência sobre quais informações coletamos, como as usamos, e sob que circunstâncias, se alguma, usamos e/ou divulgamos elas. Se nosso site for adquirido ou fundido com outra empresa, suas informações podem ser transferidas para os novos proprietários para que possamos continuar a vender produtos e serviços para você

29 de novembro de 2023
Dedução

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) firmaram nesta terça-feira acordo de cooperação técnica em ações votadas ao fortalecimento do sistema nacional de prevenção à lavagem de dinheiro. Além disso, o Relatório 2023 de Fraudes e Crimes Financeiros da Kroll mostrou que 69% das empresas globais preveem que o risco de crimes financeiros aumentará no próximo ano. Diante dessa realidade, as empresas sinalizaram que estão priorizando a tecnologia como meio de aprimorar seus processos de compliance e due diligence.

A lavagem de dinheiro apresenta um intrincado desafio de dados, pois é uma das atividades mais difíceis de detectar entre os crimes financeiros. Os custos para as instituições financeiras no mundo manter sistemas de prevenção à lavagem de dinheiro aumentaram em mais de 25% nos últimos dois anos, segundo o Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês). De acordo com o órgão, “entre 2020 e 2022, esses custos aumentaram cerca de US$ 60 bilhões, ou mais de 25%, para aproximadamente US$ 274 bilhões”.

O BIS avalia que uma combinação de tecnologias emergentes, como inteligência artificial (IA), além de segurança digital e cooperação aprimorada entre instituições e fronteiras pode virar o jogo a favor do setor financeiro global. Dessa forma, soluções tecnológicas aumentam a segurança de instituições financeiras e previnem a ocorrência de crimes e fraudes.

Não só a legislação apenas se tornará mais exigente a partir de agora, como os reguladores se tornarão mais ativos ao aplicar essa legislação contra suspeitas de violações de PLD e de financiamento ao terrorismo. Não é de se surpreender, então, que, combinado com uma demanda significativa por pessoal qualificado, o custo da compliance esteja aumentando.

“As instituições financeiras não podem se dar ao luxo de adotar uma abordagem regional para a compliance. É preciso garantir que as nuances da legislação de cada país individualmente sejam compreendidas e implementadas. Os custos financeiros, legais, de reputação e estratégicos de não fazer isso são muito mais caros do que um orçamento de compliance”, afirma Thiago Barbosa, diretor executivo da LexisNexis | Nexis Solutions para a América Latina.

Segundo o executivo, “a implantação de ferramentas tecnológicas pode automatizar elementos da due diligence e revelar insights de grandes conjuntos de dados, o que não seria possível por meio de buscas manuais”. A LexisNexis é um provedor líder global de informações e análises jurídicas, regulatórias e de negócios que ajudam os clientes a tomar melhores decisões, aumentar a produtividade e atender melhor os clientes; e a divisão Nexis Solutions desenvolve produtos específicos que ajudam profissionais a tomar decisões estratégicas de negócio de forma sólida e eficiente.

“Essas ferramentas, juntamente com pessoas altamente qualificadas, provavelmente fornecem às organizações a maneira mais eficaz de reduzir o custo crescente de permanecer em conformidade. Mas o desenvolvimento e a implementação de programas robustos de compliance para a Prevenção à Lavagem de Dinheiro (PLD) continuarão a ser o maior desafio enfrentado pelas empresas de serviços financeiros no futuro próximo”, completa Thiago.

Compartilhe nas redes sociais
Facebook Twitter Linkedin
Voltar para a listagem de notícias